quinta-feira, 18 de outubro de 2018



sábado, 11 de agosto de 2018


quinta-feira, 26 de julho de 2018



segunda-feira, 7 de maio de 2018


domingo, 6 de maio de 2018


sábado, 5 de maio de 2018


segunda-feira, 16 de abril de 2018


segunda-feira, 9 de abril de 2018


sábado, 24 de março de 2018

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018


domingo, 11 de fevereiro de 2018

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

terça-feira, 28 de novembro de 2017

terça-feira, 14 de novembro de 2017


" Deixa-me falar-te sobre o vento . O vento ululante do sul de Marrocos , o Aajej ( o que arde ) , contra o qual os fellahin lutam com as suas facas . E ainda , o quente e seco Ghibli , da Tunisia , que roda e roda e roda , e produz um abalo nervoso . E o Haboob , o vento tempestivo do Sudao , que se veste de amarelo cintilante , como o acafrao e sobe em paredes de mil metros de altura e prenuncia a chuva . O Harmattan , se sopra e se afoga no Atlantico . O Imbat , o vento do mar que sopra do norte de africa e apaga as lampadas . O Khamsin , uma núvem provocada por uma tempestade que sopra de Marco a Maio , que deriva da mesma palavra a que os egípcios nomearam a nona praga biblica .

Outros nascem apenas para suspirar para o céu. Tempestades de areia nocturnas que acompanham o frio . E também esse vento indizível e secreto do deserto , cujo nome foi mandado apagar de todos os livros por um rei , cujo filho nele morreu vencido . Ou o nahaft-whiff - que sopra da arábia - esse vento violento que os berberes conhecem como " o vento que rouba os santos " , " aquele que envenena " .

Outros há ainda , menos constantes , que mudam de direccao e que podem derrubar cavalos e cavaleiros , que conseguem inverter o próprio curso e rodar contra os sentido dos ponteiros de um relógio. O Bist roz , deita-se no Afeganistao sobre as casas as montanhas e os vales e ali permanece por 170 dias seguidos , queimando as aldeias . E outro , o Datoo , que sopra do Gibraltar e traz consigo perfumes de pétalas raras e causa a vertigem . O nahaft , que dizem ser capaz de " arrumar as aves" . O vento Samiel da Turquia , que tem um veneno e decide as batalhas. 
E outros , mais particulares ainda , que viajam junto ao chao , como se fosse a água de uma cheia que aaga a tinta das casas e deita abaixo os postes de telégrafo e arrasta consigo pedras e cabecas de estátuas . O Harmattan que sopra desde o Saahara , carregado de pó de areia vermelha , rara como o fogo , como farinha que se insinua entre as fechaduras das portas e as culatras das espingardas , os marinheiros chamam-lhe o mar da sombra a a este vento ocre , algumas nuvens chegam pelo ar tao longe como a Devon e à Cornualha , produzindo chuvadas de lama tao vivas que confundidas com sangue. Em 1901 foram notícia em Portugal e Espanha .
As tempestades de areia tomam tres formas distintas : a coluna , o redemoinho e a parede . Na primeira o horizonte desaparece e as estrelas também . Na segunda , somos cercados por demónios que rodopiam , na terceira a natureza toda parece se incendiar , num tom vivo de cobre .


( Existem no ar , milhoes de toneladas de pó , tal como há milhoes de moléculas de ar na terra . E também mais matéria viva no solo do que a que fervilha à sua superfície. O próprio Heródoto registou a perda de muitos exércitos engolidos pelo Simoon , e que nunca mais foram vistos . Conta que houve uma nacao que tanto se enfureceu contra este vento maldoso que lhe declarou a guerra e marchou contra ele em batalha concebida - para vir a ser rapidamente cercada e dizimada . ) "

( O paciente ingles , Michael Ondaatje )

domingo, 12 de novembro de 2017





sábado, 11 de novembro de 2017


sexta-feira, 6 de outubro de 2017


segunda-feira, 2 de outubro de 2017



Encerro também na memória os afectos da minha alma, não da maneira como os sente a própria alma, quando os experimenta, mas de outra muito diferente, segundo o exige a força da memória. Não é isto para admirar, tratando-se do corpo: porque o espírito é uma coisa e o corpo é outra. Por isso, se recordo, cheio de gozo, as dores passadas do corpo, não é de admirar. Aqui, porém, o espírito é a memória. Efectivamente, quando confiamos a alguém qualquer negócio, para que se lhe grave na memória, dizemos-lhe: «vê lá, grava-o bem no teu espírito». E quando nos esquecemos, exclamamos: «não o conservei no espírito», ou então: «escapou-se-me do espírito»; portanto, chamamos espírito à própria memória. Sendo assim, porque será que, ao evocar com alegria as minhas tristezas passadas, a alma contém a alegria e a memória a tristeza, de modo que a minha alma se regozija com a alegria que em si tem e a memória se não entristece com a tristeza que em si possui? Será porque não faz parte da alma? Quem se atreverá a afirmá-lo? (...) E mesmo quando falo no esquecimento e conheço o que pronuncio , como podia reconhece-lo , se dele não me lembrasse ?  Não falo do som desta palavra , mas do objecto que exprime . Se o esquecesse , não me poderia lembrar do que esse som significava . Ora, quando me lembro da memória , esta fica presente a si , por si mesma . Quando me lembro do esquecimento , estão ao mesmo tempo presentes o esquecimento e a memória : a memória que faz com que me recorde , e o esquecimento que lembro. (...) A memória retém o esquecimento . " ( Santo Agostinho , Confissões )  




sábado, 16 de setembro de 2017




sexta-feira, 15 de setembro de 2017


quinta-feira, 13 de julho de 2017


domingo, 25 de junho de 2017



terça-feira, 25 de abril de 2017


domingo, 23 de abril de 2017


sábado, 15 de abril de 2017


sábado, 1 de abril de 2017




segunda-feira, 27 de março de 2017



segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017



domingo, 19 de fevereiro de 2017


sexta-feira, 6 de janeiro de 2017