sábado, 26 de maio de 2012

           Ligaram me a avisar quando saía do hotel , um greve de mineiros bloqueou a estrada que chega a Nasca e a Arequipa . Acabei por ter de ir ao centro da cidade para mudar o bilhete . Estou há 48 horas em Lima , resolvi ir directamente para Cusco amanha de manha .Dei comigo numa pequena praça no bairro de San Miguel , com um saco de laranjas e o resto do dia para gastar , viajar pode tambem ser estar parado e olhar , o meu mundo é tao pequeno sem os livros e as memórias , estou sem pressa , dado à sorte . Nao me turva a fortuna e os contratempos e a saudade agora , tornou se numa coisa feliz , todas as memórias se fizeram adocicadas . O bairro fica ao lado da praia e perto da cosmopolita Miraflores . É um bairro popular e tranquilo , cheio de crianças e velhos que andam de maos dadas e até uma estátua ao John Lennon fizeram ao lado do mar . A praça tem um parque central e um mercado cheio de vendedores de fruta e gelados . Sinto me melhor aqui , longe do comércio das horas . Talvez isso venha já da minha condiçao de ilhéu tímido e desprendido .Esta noite vou começar a toma da acetazolamida , vou fazer uso por 72 hrs e depois paro para ver se me aclimatei . No verso do meu bilhete de autocarro le-se a distancia entre os percursos e as respectivas altitudes , em La Raya atravessamos a cordilheira mais alta : 4635 mts , trago confessa alguma apreensao .Lima é uma capital bonita , trazia o preconceito de a encontrar mais suja , menos pacífica , andei toda a tarde pelo centro , visitei o museu de arte nacional e o museu da inquisiçao espanhola ( por ironia pensei , foram os espanhois trouxeram para cá nao apenas o conceito do pecado mas também a invençao do resgate . Por outro lado - nao é ironia nehuma - nao tenho conhecimento de um único auto da fé do lado da América portuguesa . A licenciosidade será afinal coisa antiga no meu país , talvez isto acrescente razao para o estado das coisas por lá . Ou nao . )Conheci também três igrejas antigas , todas elas cheias de fieis e estátuas de martírio . Cada vez mais compreendo que a essencia desta religiao se contradiz , onde seria suposto se predicar o amor , adverte-se o castigo e exorta-se o sofrimento ( só recentemente descobri da minha condicao de excomungado ) .Comi ceviche alimado e uma cerveja fresca e pao de forno num "comedor" instalado num edificio setecentista . As igrejas e os edificios mais antigos tem locais para refúgio contra os sismos , razao tinha o Zeca Afonso quando cantava que "pára-raios nas igrejas / sao para mostrar aos ateus / que os cristaos por mais que o sejam / nao teem confiança em Deus ". Estive num cemitério conventual , uma cave azul onde foram enterrados os monges de nove geraçoes ( laicas , "por supuesto" ) e também num monastério cheio de azulejaria de Sevilha de tons laranja e anil , que foi trazida de espanha no sec XVII .Sao seis da tarde e eu combinei com o sol fazer lhe uma visita , vai para lugares que eu já amei e outros onde eu nunca hei-de estar . Nao o quero fazer esperar , Deus sabe ( este Deus de que eu falava ) o que aconteceria . Nao me sujeito à mesma lei da translacçao , esta é a minha liberdade e eu já nao gravito : faço-lhe agora a visita , escreverei mais , quando eu quiser . Todas as horas sao minhas ( S.T. Os diários de Rapa Nuï ).

Sem comentários:

Enviar um comentário