quinta-feira, 5 de março de 2015


1 comentário:

  1. « E agora passaremos a algo bem banal, algo que talvez vos faça rir: a comparação de mulheres com flores, e também de flores com mulheres. Aqui, é claro, há exemplos de sobra, todos muito fáceis. Mas há um que gostaria de lembrar (talvez vos não seja familiar ) , daquela obra-prima inacabada, o Weir of Hermiston de Robert Louis Stevenson. O herói de Stevenson vai a urna igreja, na Escócia, onde vê uma rapariga- uma rapariga adorável, pressentimos. E sentimos que ele está prestes a apaixonar-se por ela. Porque olha para ela e então pergunta-se se há uma alma imortal dentro daquela bela moldura, ou se ela é um mero animal da cor das flores. E a brutalidade da palavra "animal" é destruída, claro, por causa "da cor das flores". » Borges

    ResponderEliminar